Ampliação da quebra de sigilo fiscal de Aécio


© Ueslei Marcelino / Reuters

ampliação da quebra do sigilo fiscal do senador Aécio Neves (PSDB-MG) foi determinada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello, relator do caso na Corte. A decisão também atinge a irmã dele, Andréa Neves, e empresas investigadas no inquérito aberto em razão da delação premiada da J&F. 

De acordo com informações do portal G1, Marco Aurélio havia ordenado o afastamento do sigilo no período de 1º de janeiro de 2014 a 18 de maio de 2017, mas, como a Receita Federal não entrega dados parciais, o ministro quebrou o sigilo dos dados de todo o ano.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) acusa Aécio nos crimes de corrupção e obstrução de Justiça. A denúncia foi aceita pelo STF no dia 17 de abril último.

Anterior Lista do TCE tem 560 "contas-sujas"
Próximo Álvaro Dias doou para campanha de delegado da PF

Sem Comentário

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *