Ricardo Stuckert Filho/Instituto Lula/Reuters

Segundo o professor de Direito Constitucional da PUC-SP, Pedro Serrano, as conversas vazadas entre o procurador da República, Deltan Dallagnol, e o então juiz de Curitiba, Sergio Moro “contaminam” as decisões judiciais tomadas dentro do processo que levou o presidente Lula para a prisão.

Os longos arquivos enormes e inéditos foram publicados pelo site Intercept Brasil no início da noite de hoje, 9.

“Se for verdadeiro o que foi apresentado na matéria do (jornal) Folha de S. Paulo, o juiz chega a instruir o Ministério Público. Isso é demonstração suficiente para atestar imparcialidade do juiz”, afirma.

O professor avalia ainda que por terem sido obtidas de forma ilícita, as provas não poderão ser usadas criminalmente ou administrativamente contra os envolvidos, mas são suficientes para constatar “vício insanável” das decisões que levaram não apenas Lula, mas outros acusados como o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto para a cadeia.

Por