PT quer firmar alianças e se aproximar de partidos pró-impeachment


© Reuters
© Reuters

Governadores e dirigentes petistas estão empenhados em ampliar as alianças com partidos que compõem a base do governo de Michel Temer (MDB) e apoiaram o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

De acordo com a Folha de S. Paulo, uma resolução petista, de dezembro de 2017, determina como núcleo de alianças partidos que votaram contra o impeachment e as medidas do governo Temer. No entanto, em pelo menos 16 estados as negociações vão na contramão.

Em estados onde o PT não tem candidatos competitivos, o partido tentará buscar alianças com o objetivo de manter o tamanho de sua bancada no Congresso.

A reportagem apresentou a posição do partido em alguns os estados:

AC – Candidatura de Marcus Alexandre – Partidos: PSB, PCDOB, PV, PRB e PDT

AL – Apoio a Renan Filho (MDB)

BA – Reeleição de Rui Costa – Partidos: PSD, PP, PR, PDT, PSB e PCdoB

CE – Reeleição de Camilo Santana – Principais partidos: PDT, MDB, DEM, PSB, PTB, PP, PR, PRB, PV, PPS

ES – Apoio a Paulo Hartung (MDB) ou a Renato Casagrande (PSB)

GO – Candidatura de Kátia Maria ou apoio a Daniel Vilela (MDB)

MG – Reeleição de Fernando Pimentel – Partidos: PCdoB, Pros e PRB

PA – Candidatura do senador Paulo Rocha ou apoio a Helder Barbalho (MDB)

PB – Apoio a João Azevedo (PSB)

PE – Candidatura de Marília Arraes ou apoio à reeleição de Paulo Câmara (PSB)

PI – Reeleição de Wellington Dias – Partidos: PP, MDB, PDT, PTB, PSD e PCdoB

PR – Possível apoio ao senador Roberto Requião (MDB)

RN – Candidatura da senadora Fátima Bezerra – Partidos: PCdoB e PHS

RO – Possível apoio ao senador Acir Gurgacz (PDT)

RR – Apoio a Suely Campos (PP)

SE – Apoio ao governador Belivaldo Chagas (PSD).

Anterior Herdeiro de José Alencar entra no jogo de 2018
Próximo A nova face do eleitor

Sem Comentário

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *